Determinação de Paternidade pelo DNA small logo
MITOS E VERDADES SOBRE O TESTE DE DNA

" O exame de DNA tem de ser feito no sangue ”.- FALSO - O DNA é o componente genético básico e está presente em todas as células do nosso corpo. E ele é absolutamente o mesmo nas células brancas do sangue, nas células da mucosa bucal, nas células da raiz do cabelo (bulbo capilar), no sêmen etc. O teste de paternidade pode ser feito com qualquer tecido que contenha DNA.

" Exame de DNA é sempre igual. Vamos fazer o mais barato ”.- FALSO - Não se deixe iludir. Qualidade tem preço. O valor do exame está diretamente ligado à quantidade de regiões do DNA estudadas e ao percentual de confiabilidade do resultado.

" O bebê é muito novinho e terá de crescer mais para fazer o teste de DNA ”.- FALSO - Não existe idade mínima nem máxima' para o teste de paternidade pelo DNA.

" Cortei o cabelo dele para fazer o teste de DNA ”.- FALSO - Cabelo cortado não contém DNA suficiente para os testes. O DNA usado para determinação de paternidade está na raiz (bulbo) do cabelo arrancado ou retirado de escovas,  pentes, ralos de banheiro etc.

" Ele já morreu há muitos anos, sem nenhum outro parente vivo. Nunca poderei provar que ele era o pai de meu filho ”.- FALSO - O teste de paternidade pode ser feito em DNA extraído de material exumado, independente do tempo e local de sepultamento, ou da causa da morte. Para acessar mais informações sobre Perícia sem a Presença do Suposto Pai (Exumação) neste site, clique aqui .

" Sou primo da mãe e estou com medo do resultado ser positivo, mesmo que eu não seja o verdadeiro pai ”.- FALSO - Toda pessoa é geneticamente diferente da outra, exceto os gêmeos homozigóticos (idênticos). Um teste de paternidade robusto e mais completo (com análise de maior número de locos de DNA pela PCR) pode definir a paternidade mesmo havendo parentesco entre a mãe e o possível pai ou se houver dúvida entre dois supostos pais que são irmãos ou meio-irmãos, primos ou mesmo pai e filho, tio e sobrinho, avô e neto.

" Tomei medicamentos, me alimentei bem e bebi bastante antes da coleta para o teste de DNA. O resultado não será o verdadeiro" . - FALSO - Medicamentos, alimentos ou bebidas não alteram o  DNA da pessoa. Nenhum preparo especial é necessário antes da coleta de sangue e/ou células bucais para os teste de paternidade pelo DNA.

" Terei de esperar o bebê nascer para provar quem é o pai dele ”.- FALSO - Não é necessário esperar o nascimento do bebe. O teste de paternidade pelo DNA pode ser feito durante a gestação, a partir da 10ª semana. Para acessar informações sobre Paternidade  Pré-Natal neste site, clicar aqui .

" A mãe não precisa participar do exame porque já sabemos que ela é mãe mesmo ” FALSO - Se ela já tiver falecido, o exame pode ser feito, mas é mais dispendioso e mais difícil. Se a mãe for viva, o ideal é testá-la também. Metade do DNA vem da mãe e a outra metade do pai biológico. O teste sem a mãe, na falta de 50% das informações herdadas dela, que são muito importantes, terá de compensar isto com o estudo de um número muito maior de locos (regiões) do DNA só do suposto pai e do filho.  Cálculos matemáticos e estatísticos mais complexos serão necessários. Havendo de parentesco entre a mãe que não será testada e o suposto pai ou se houver dúvida entre dois possíveis pais, parentes entre si (irmãos, meio-irmãos,  primos, pai e filho, avô e neto, tio e sobrinho) a análise é mais complexa ainda.

" O DNA arquivado no ‘Banco de DNA do GENE' pode ser usado após a morte, caso apareçam pessoas pleiteando a paternidade ”.- VERDADEIRO - Pessoas prevenidas que temem que após o  falecimento apareçam pessoas reclamando participação na herança tomam esta providência. Para obter mais informações sobre Banco de DNA neste site, clicar aqui .

Para mais informações, ligue para (31) 3284-8000